Carregando... Por favor, aguarde...

Requerimentos para todos PC

  • Imagem 1

Chapéu das estações

Carlos Nejar
ISBN:
9788575316870
Selo:
Autor:
Carlos Nejar
Formato:
18 X 10,5 x 15 cm
de R$140,00
R$98,00
versão impressa

DESCRIÇÃO

A coleção Chapéu das estações reúne reedições, em formato de bolso, de 14importantes e premiados livros de poesia, anteriormente esgotados do autor Carlos Nejar.

Sobre o Autor

Luís Carlos Verzoni Nejar, mais conhecido como Carlos Nejar (Porto Alegre, 11 dejaneiro de 1939), é um poeta, ficcionista, tradutor e crítico literário brasileiro, membro da Academia Brasileira de Letras e da Academia Brasileira de Filosofia. É graduado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Considerado um dos mais importantes poetas da sua geração e um dos 37 escritores chaves do século, Nejar, também chamado de "o poeta do pampa brasileiro", considerado pelo critico literário Ronald Augusto como um dos três melhores poetas do seu estado no final dos anos de 1970, juntamente com Mário Quintana e Heitor Saldanha, destaca-se pela riqueza de vocabulário e pela utilização das aliterações, que tornam seus versos musicais. Lançou seu primeiro livro de poesia, Sélesis, em 1960. Como tradutor traduziu autores como Pablo Neruda. Trabalhou como colaborador da página literária Nossa Geração do Jornal Diário de Notícias, de Porto Alegre RS. Formou-se bacharel em Direito pela PUC/RS em 1962. Entre 1966 e 1974 foi professor da rede pública estadual em ltaqui RS, e promotor de justiça em várias cidades do interior gaúcho, além de procurador da justiça em Porto Alegre. Em 1970 recebeu o Prêmio Jorge de Lima, pelo livro Arrolamento, concedido pelo Instituto Nacional do Livro. Em 1979 ocorreu a gravação de seus poemas para a Biblioteca do Congresso, em Washington (EUA). Foi eleito, em 1987, membro da Academia Brasileira de Letras. Sobre sua obra, de tendências contemporâneas, o crítico Eduardo Portel la afirmou: "a poesia enraizada de Carlos Nejar, porque enraizada e porque poesia, sabe, em meio ao ruído epocal da modernidade, ao som e à fúria, dispensar os manequins de época e plantar-se, sem receio e sem alarde, no fundo do tempo." Em 1989 entrou na Academia Brasileira de Letras, ocupando a cadeira de seu conterrâneo Vianna Moog. Na condição de promotor de justiça, viajou por todo o interior do Rio Grande do Sul, conhecendo palmo a palmo o pampa que avulta na sua visão poética. Participou de vários congressos e eventos internacionais de poesia, representando o Brasil, e foi premiado em diversas oportunidades: Prêmio Nacional de Poesia, do INL, em 1970; Prêmio Fernando Chinaglia, da UBE, em 1974; Prêmio Monteiro Lobato, em 1981; Troféu Cassiano Ricardo, do Clube de Poesia, em 1995, entre outros. Principais livros de poesia: O campeador do vento (1966), Danações (1969), Ordenações (1971 ), Casa dos arreios (1973), O poço do calabouço (1974), A árvore do mundo (1977), Os viventes (1979), Livro de gazéis (1984), A genealogia da palavra (1989), Amar, a mais alta constelação (1991 ), Simon vento Bolívar (1993), Arca da aliança (1995), Sonetos do paiol, Ao sul da aurora (1997) e O poço dos milagres (2005), obra em prosa não bem recebida pela crítica. Seu lançamento mais recente é uma reedição de Viventes, acrescida de 300 novos poemas. Atualmente o poeta vive com a esposa, no seu Paiol da Aurora, diante do mar de Santa Mônica, em Guara pari, Espírito Santo. Foi casado com a escritora Maria Carpi, com quem teve um filho, o poeta e escritor Fabrício Carpinejar. 

Organizador do projeto

Deonísio da Silva é um professor, escritor e etimologista brasileiro, membro da Academia Brasileira de Filologia, vinculado às universidades Unijuí (1972-1981 ), Ufscar (1981-2003) e Estácio (2003-2016), dando aulas e videoaulas de Língua Portuguesa e respectivas literaturas e desenvolvendo projetos culturais e de extensão. É autor de 34 livros, e dois de seus romances estão publicados também em Portugal, Cuba e Itália. Seus contos estão publicados nestes países e também na Alemanha, na Suécia, no Canadá, na Argentina etc. Escreve, há vinte e três anos, uma coluna semanal de etimologia na revista Caras. E há cinco anos redige e apresenta o programa Sem Papas na Língua, na Rádio Bandnews, em companhia de Ricardo Boechat. Há décadas vem mantendo colunas semanais sobre temas de sua especialidade em jornais, revistas, na televisão e no rádio. 

DEIXE SUA OPINIÃO

Deixe seu comentário sobre o produto

Este produto não foi comentado ainda. Seja o primeiro a comentar sobre este produto!